8 dicas para acertar na hora de enviar o arquivo para a gráfica

Você terminou o arquivo e vai colocar ele no paint, ou no word, para mandar para a gráfica, correto? Não! Não faça isso, pois o trabalho será dobrado!

 

Como parece simples demais para quem trabalha no ramo de impressões, algumas pequenas dicas de como enviar o material pronto acabam não sendo dadas, e aí começa aquela sessão de manda e volta, pedindo cada vez uma coisa diferente. Para evitar este desgaste e esta perda de tempo, afinal não temos tempo a perder, é que separamos oito dicas.

 

Quem trabalha em uma gráfica sabe que o arquivo que irá ser impresso precisa de uma atenção necessária. E é justamente esta atenção que vai garantir a qualidade do resultado final. Então, sem mais delongas, vamos para as dicas que vão salvar seu tempo (e sua vida):

Arquivo

Dica 1: Em primeiro lugar (e serve para a vida!): organização. Todo o processo de criação de arte deve estar indexado, guardado dentro de uma única pasta, que deve ser enviada para a gráfica. Ou seja, todas as imagens, fontes, textos e qualquer outro arquivo utilizado devem estar neste local, pois deste modo não haverão perdas no meio do caminho.

Dica 2: Em segundo lugar: as cores do material. O padrão de cores utilizado na impressão é o CMYK (Cyan, Magenta, Yellow e Black), mas na tela do seu computador você vê o padrão RGB (Red, Green e Blue). Deste modo é imprescindível que você mantenha a integridade do material indicando as cores de acordo com uma escala cromática, como a da Pantone. Assim, você não terá surpresas com o material depois de pronto.

Dica 3: Outro ponto importante é o papel. Você sabe exatamente em qual o tipo de material a impressão será feita? Se não sabe, é bom saber, pois detalhes como superfícies plásticas, metálicas ou tecidos podem transformar o projeto original em algo inesperado. O verniz também é um detalhe a ser verificado.

Dica 4: Qual será o processo de impressão empregado? Existem diversos tipos de processos de impressão, como offset, flexografia e serigrafia, entre muitos outros. Saber qual deles será utilizado pode ajudar a maximizar os resultados da sua arte.

Dica 5: É fundamental que você insira corretamente as marcas de registro, se houver faca especial ou verniz, para que elas não fiquem desalinhadas. Caso esteja trabalhando com uma gráfica de produtos padronizados, ao invés de marcas, siga exatamente os limites de tamanho da arte. Assim a produção se encarregará do encaixe junto aos demais clientes, sem perdas nem danos ao material.

Dica 6: Na hora de passar a arte para o papel, a medida deixa de ser o pixel e passa a ser o centímetro, então é bom lembrar de fazer a conversão, para saber se está falando a mesma língua da gráfica.

Dica 7: Com relação a pequenos detalhes, é importante lembrar que dependendo da gráfica e do tipo de impressão, se o detalhe for muito delicado, como fios com espessura hairline, ele pode ficar praticamente invisível ou sumir de verdade. O indicado é utilizar medidas de, no mínimo, 0,425pts ou 0,15mm.

Dica 8: Deixe seu material mais leve. Evite usar sombras, degradês e blends ao finalizar o arquivo no seu programa, pois as estruturas complexas deste tipo de configuração elevam o tamanho do arquivo, aumentam o tempo de renderização e o também tempo de impressão. Uma boa solução é aplicar estes efeitos gráficos e filtros dentro do software de tratamento de imagem e e depois aplicar a imagem no arquivo final como um bitmap.

Dica 9: mande seus arquivos para a gráfica fechados e não abertos. O arquivo original será convertido em OS (Postscript) e depois em PDF/X-1a. Assim há mais garantia da qualidade e da integridade do conteúdo, além de ficar bem mais leve. Dentro dele estarão linkados todos os arquivos utilizados na concepção do material, como imagens, fontes e ilustrações vetoriais, além de indicar tamanho da página, áreas de sangria e marcação de corte. Se for inevitável  enviar o arquivo original (aberto) crie um pacote de impressão, uma pasta contendo todas as páginas diagramadas, as imagens, ilustrações e fontes utilizadas, para garantir que tudo corra bem.

upload

O envio é realizado por FTP, ferramenta de transmissão de arquivos via TCP/IP. Caso a gráfica escolhida peça em outros formatos, você deve se adequar a eles, e por isso é tão importante alinhar com os profissionais todos estes detalhes antes de enviar os arquivos.

 

São dicas simples, que se você colocar no checklist podem render um tempo extra. otimize a produção e economize dinheiro no processo!

 

Quando seu cliente entrar em contato, explique a ele todos estes cuidados, e demonstre cuidado e segurança na hora de ao enviar seus arquivos para impressão.
Se você é profissional do setor gráfico e gostou destas dicas, nós indicamos utilizar o conteúdo e surpreender o seu cliente, preparando-o com estas dicas, e ajudando-o a poupar tempo. O seu e o dele!

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *