Que tal saber mais sobre papéis?

É muito importante, na hora de elaborar um material gráfico, o conhecimento sobre papéis, pois você pode deixar ainda mais bonita e criativa a sua arte, utilizando os recursos que cada um deles pode proporcionar.

Como destacar uma ideia, uma logo ou imagem? Como a textura do papel vai fazer a diferença, a gramatura, a cor, a transparência? Existem formas de valorizar tudo aquilo que você pensou e deseja transmitir.  Desta forma, listamos dezesete tipos de papéis, entre os especiais e os mais comuns na indústria gráfica, e mostramos a melhor forma de usá-los. Confira!

1. Offset

O papel offset é o mais comum e o mais utilizado nas impressões em geral, Ele é branco, fosco, tem textura lisa e sua gramatura pode variar de 56 g/m² até 300 g/m². Muito utilizado em miolo de livros e em peças que serão utilizadas para escrita, como o papel timbrado e os blocos de notas.

2. Jornal

Bastante utilizado na produções de jornais, como o próprio nome indica, e também em encartes de ofertas. É um papel barato, por isso muito procurado para impressões em grande quantidade. Não é o ideal quando se deseja qualidade em imagens. Também pode ser usado para publicação de revistas e, com gramaturas maiores, para criar peças de design diferenciadas.

3. Couché

Esse é o papel mais usado em peças de design, quando se pretende um bom resultado e um custo acessível. Você observa sua aplicação em: cartões de visita, flyers e folders. Seu nome origina-se da palavra francesa para “camada”, devido a uma película de acabamento que deixa sua superfície mais lisa. O couché pode ser usado na forma lisa ou fosca. O liso proporciona mais brilho à peça e o fosco deixa o material mais sofisticado. Dependendo do que você deseja, pode optar pelo uso de um ou do outro.

4. Papel revista

É um papel couché com gramatura mais final, o que facilita o manuseio. Por isso, é bastante usado para impressão de revistas, periódicos e encartes.  Nele pode ser aplicado tanto textos como imagens e obtém-se uma boa qualidade.

5. Duplex

O papel duplex tem este nome por ser composto de duas camadas: uma lisa e acetinada e outra sem branqueamento. É resistente e, geralmente, permite a impressão em apenas um dos lados. É ótimo para a impressão de embalagens e caixas, justamente por ser resistente e aceita bem a impressão das cores e imagens.

6. Cartão

O papel cartão é semelhante ao duplex, pois apresenta duas camadas também. Uma é lisa e recebe bem cores e impressão. O outro lado não proporcina boa qualidade de impressão. Possui gramatura mais alta: varia de 150 a 240g/m2. Tem ótima resistência e é usado em cartões de visitas, pastas e embalagens.

7. Reciclato

Este é um papel bastante usado para quem busca respeitar a natureza e passar essa imagem de preocupação ambiental. O reciclato é obtido por meio da reciclagem do offset. Suas cores e texturas podem valorizar uma peça feita especialmente para ele. Há várias opções de gramaturas e ele pode ser usado em qualquer peça, desde que não se misture muitos conceitos para não confundir a mensagem do seu design.

8. Kraft

O papel kraft é um dos tipos de papéis não branqueados e se caracteriza por sua tonalidade amarronzada que lembra o papelão. É versátil para a produção de embalagens, sacolas, envelopes, capas de cadernos e agendas. Ele passa essa ideia de algo mais natural, mais rústico e pode reforçar essa mensagem. Devemos apenas cuidar com a impressão das cores e imagens, já que ele possui esse tom amarronzado e pode interferir nessa questão.

9. Fotográfico

Usado há décadas para impressão de fotografias. É um couché com uma camada extra de polietileno que faz as cores ficarem especialmente vivas e fiéis à realidade. Ainda que seu uso em fotos seja óbvio, ele oferece uma característica de impressão que pode tornar uma peça de design muito interessante e atraente, caso seja utilizado de forma inteligente.

10. Vergê

Entre os tipos de papéis com textura, o vergê se destaca. Ele é marcado por pequenas linhas paralelas e sua gramatura vai de 80 a 180 g/m². Recebe textos muito bem, mas não é tão adequado para imagens. É muito indicado para peças que desejam passar uma imagem de conservadorismo e sofisticação como: cartões de visita, convites e certificados.

11. Linho

O papel linho tem esse nome por lembrar realmente a textura do linho (tecido). Também passa essa sensação de luxo e sofisticação. Por falar em luxo, o papel de linho é uma escolha que chama a atenção. Seu nome faz referência à textura, que realmente lembra a do tecido. Com o acabamento fosco, a sensação de exclusividade é garantida. Trata-se de uma ótima opção para transmitir uma mensagem diferente, como em um menu com um toque de sofisticação ou no convite para um evento. Varia de 100 a 200 g/m², em média.

12. Aspen

Essa alternativa é levemente brilhante, com toque acetinado e reflexão perolada. A gramatura vai de 120 a 240 g/m², o que atende a diversas necessidades. Possui aspecto metálico, o que o torna ideal para composições formais e refinadas. Além dos convites, certificados, cartões de visita, pode ser usado em peças como tags e elementos personalizados.

13. Vegetal

Ele é feito somente com a fibra de celulose e dispensa adicionais químicos. Como resultado, tem uma leve transparência ao mesmo tempo que apresenta toque macio. Sua gramatura, em geral, fica em torno de 180 g/m². Pode ser usado em detalhes de um catálogo, como por exemplo, ou na elaboração de um envelope. Cria uma expectativa na observação de uma imagem que venha na sequência dele. Também pode ser usado em convites.

14. Pólen

O papel pólen tem toda uma pegada de sustentabilidade. Não utiliza ácidos em sua fabricação, o que dá origem a uma tonalidade off-white. Por causa de suas características, reflete menos luz que a versão branca, o que melhora a leitura e a apresentação. É muito aplicado para edição de livros, mas também serve para compor cadernos, agendas e blocos de anotação. A gramatura fica entre 80 a 90 g/m², mas é possível encontrar outras opções.

15. Color plus

Possui cores vibrantes, com ótima “lisura” para realizar impressões, não possui dupla face, mas possui grande resistência das cores à luz. Está disponíveis em diversas gramaturas e tem um leque de cores variadas. Suas aplicações são em trabalhos publicitários, papel para carta, envelopes, convites, catálogos, blocos, capas, folhetos, cartões de visita, mala-direta, entre outros.

16. Supremo

O papel supremo é resistente, devido à alta gramatura, e sua textura é extremamente lisa. Entre as opções comuns é o papel mais liso e resistente, indicado para impressões de alta qualidade e acabamento.O nome “supremo” é apenas comercial. Na verdade, este papel se chama “cartão triplex”. Pode ser usado em: calendários, imãs, pastas, embalagens, cartões de visita, marcadores de página, encartes e convites.

17. Duo Design

Possibilita impressão em policromia dos dois lados com maior fidelidade de cor e tem como grande diferencial a aplicação de uma camada de coating no verso, que poderá proporcionar ao seu trabalho uma infinidade de aplicações. Aceita todos os recursos gráficos como por exemplo, hot stamping. Também é utilizado para capas de livros, revistas e materiais promocionais. A gramatura varia de 250g / 300g / 350g.

 Além desses citados, existe uma variedade imensa de outros tipos de papéis. Esses são os mais comuns e versáteis para imprimir e criar suas peças de design.

Talvez você goste também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *